Obesidade infantil. Criança com sobrepeso

De quem é a culpa pela obesidade das crianças?

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A obesidade já atinge 10 por cento das crianças brasileiras, A obesidade infantil aumentou cinco vezes nos últimos 20 anos no Brasil, acusa a nutricionista Sylvia Elisabeth Sanner, de São Paulo. Entre as principais consequências, ela cita aumento de casos de diabetes e problemas cardiovasculares, além do aumento dos níveis de colesterol e triglicérides.

O que é a obesidade infantil?

Por que uma criança fica obesa ou gorda

De acordo com o médico-nutricionista Fábio Ancona Lopez, vice-presidente da Sociedade de Pediatria de São Paulo, a obesidade infantil já atinge cerca de 10 por cento das crianças brasileiras. Independente das cifras, o médico argentino Júlio Ribeiro afirma, categórico, que a 'obesidade é uma das piores aquisições da civilização'.

Trata-se da acúmulo excessivo de gordura corporal, especialmente no tecido adiposo, e que se pode perceber pelo aumento do peso corporal quando alcança 20 por cento a mais do peso ideal segundo a idade, o tamanho, e sexo da pessoa em questão.

Para calcular o peso ideal de uma criança entre 2 e 5 anos de idade, ainda que de forma apenas aproximada, tem que multiplicar a idade em anos por dois mais oito. Exemplo: para saber quanto deve pesar, em média, uma criança de 5 anos, multiplica a idade (5) por 2 e soma 8. Ou seja, 5x2+8=18Kg. Insistimos que este método não é exato. Trata-se de apenas uma ilustração. O certo é consultar e considerar o que diga o pediatra da criança.

Crianças com sobrepeso

Para muitas famílias, ter um filho gordinho, bochechudo, e cheio de dobras é um êxito, um sinal de que a criança está bem, forte e cheia de saúde. Mas os especialistas em nutrição infantil não pensam da mesma forma. E dizem mais: essas famílias estão muito equivocadas.

O que importa não é que a criança esteja gorda ou magra. O que interessa é que a criança esteja saudável. A obesidade infantil é encarada por muitos especialistas como uma enfermidade emergente.

Tanto na Europa como nos Estados Unidos, desde os anos noventa até hoje, a incidência da obesidade infantil duplicou. Espanha se converteu no quarto país da União Européia com maior número de crianças com problemas de sobrepeso, apresentando um quadro de obesidade por cerca de 16,1 por cento entre menores de 6 a 12 anos de idade, superado apenas pelos dados da Itália, Malta e Grécia.

Um feito alarmante em uma sociedade que leva em seu currículo uma das melhores dietas alimentares do mundo: a dieta mediterrânea, e no qual há cinco anos apresentava apenas 5 por cento de menores obesos.

O que e quanto deve comer uma criança

Não existe uma quantidade exata de comida que uma criança deve consumir. Cada criança é um mundo distinto, e seus desejos e necessidades são diferentes. Em razão disso, é a criança que pode dizer com exatidão quanto pode comer.

E não se pode obrigá-la para que coma mais. Nem por bem, nem por mal. Normalmente, os meninos comem mais que as meninas, mas em questão de apetite não se pode generalizar.

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, um estudo feito no Brasil, revela que as crianças das escolas públicas comem melhor do que as de instituições privadas. Esta pesquisa recente, realizada entre 3 mil crianças de idade pré-escolar em escolas e creches das redes públicas e privadas, mostrou que na escola pública as crianças comem melhor, pois como não existem lanchonetes as crianças comem apenas a merenda escolar, que é preparada por nutricionistas.