Como explicar o divórcio aos filhos

O que se pode fazer para que os filhos entendam a separação dos pais

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Em geral, os divórcios são muito traumáticos para os filhos, mas se para os cônjuges é algo insuportável o não separar-se, o manter-se juntos seria um engano aos filhos, uma farsa, e provavelmente sofreriam muito mais assistindo discussões diárias e uma falta de amor ou carinho patente, do que se o divórcio se consumar.

Está claro que o divórcio não é bom, e muitas vezes, dependendo de como se der a separação, pode significar uma dor difícil demais para os filhos superarem. Sobretudo deve-se evitar incluir as crianças no meio do conflito. Deve-se saber diferenciar entre o casal e o papel do pai e/ou mãe.

Como explicar a separação dos pais

Divorcio e filhos

O ideal seria que os filhos fossem informados sobre a situação de uma forma adequada, segundo a idade, que não se falasse mal aos filhos do pai ou da mãe, que fosse concedido um tempo aos filhos para que entendam a nova realidade, que os filhos se sintam seguros, e que todos tivessem uma orientação profissional e conselhos que lhes ajudassem a se comunicar e resolver o problema.

É importante que a informação sobre a separação do casal seja dada ao filho pelos seus pais e não por terceiros.

Conselhos para falar de divórcio com os filhos

- Explique ao seu filho que papai e mamãe já não podem ou não desejam viver juntos, e que a partir de agora, viverão em casas diferentes.
 
- Fale com seus filhos da realidade da separação, tendo o cuidado de não culpar a ninguém.

- Assegure repetidamente aos seus filhos que ambos pais, continuam amando-os igual ou mais do que antes e que ele será visitado pelo pai ou a mãe que não ficar com a sua custódia. 

- Mantenham constantes ao máximo os aspectos habituais do seu filho: domicílio, ambiente, relações com os pais, colégio, horários, amigos, etc. 

- Assegure aos seus filhos que eles não têm nenhuma responsabilidade pelo que ocorreu, pelo divórcio. Eles não tem a culpa. A culpa tem papai e mamãe por igual.

- Explique claramente que o divórcio é definitivo. Que não existe a possibilidade de voltar atrás.

- Trate de proteger as opiniões positivas que seu filho tem de ambos pais.

- Facilite a relação do seu filho com o progenitor, sendo flexível nos horários, etc.

- Trate com o progenitor que não teve a custódia, tudo relacionado com a educação, saúde, etc. do seu filho.

Cuidados dos pais separados que não vivem com os filhos

- Os filhos não são um objeto. Lute não para apropriar-se deles e sim pela sua liberdade.

- É necessário estar com eles para dar-lhes amor.

- Lute por ele, movido pelo seu amor, e não pelo ódio ou rancor por quem impede de vê-lo.

- Os filhos seguirão aprendendo do seu comportamento. Porte-se bem. Se o que você quer é respeito, respeite seu filho.

- Os filhos necessitam do pai e da mãe. Não importa o humilhado, desprotegido que se encontre, ninguém pode dar-lhe o que ele necessita senão seus pais. Para eles, o pai e a mãe são únicos e insubstituíveis.